Por quer dizem que os católicos são idólatras ?

O fato dos católicos se ajoelharem e orarem diante das imagens, de fazerem procissão  com imagens, de beijar e incensar imagens...etc. É prova que os católicos adoram os santos e suas imagens de esculturas ... ? É uma prova que os católicos   as (os ) consideram como ídolos ?

Resposta do catequista Aquino ao Sr Felipe Gutierrez, ao  amigo Costa da CBB ...A todos que respondem positivamente as perguntas acima.

Muitos protestantes , assim como o Sr. Felipe Gutierrez  dizem: Se ajoelhar diante de imagens, carregá-las em procissão, incensar e ascender velas diante delas, orar à imagens, fazer e pagar promessa aos santos, dirigir a eles orações, ações de graças, hinos de louvor ...   É idolatria. Chamar tudo isso de simples veneração respeitosa é subestimar a inteligência humana! parece até piada teológica ! ( cf. Manual de Apologética Cristã, pág. 177, CPAD, catolicismo: verdade ou mentira? págs 30-31, Ed A. d. santos ... e outras literaturas protestantes)

   RESPOSTA: Nenhum Católico pede ou faz oração à imagem, orar diante de uma imagem não é o mesmo que orar à imagem. Se até uma criança tem descortino intelectual suficiente, a ponto de saber que a boneca(imagem) em suas mãos não é uma criança de verdade, sabe apesar da boneca  " falar, chorar, fazer xixi", que ela não tem vida, como não saberemos nós adultos diferenciar a imagem( um simples objeto inanimado) da pessoa santa que ela representa . 

Deixemos um pastor e ex- padre ( aliás, muito citado por escritores protestantes para criticar a igreja católica ) refutar tais escritores e demais protestantes:" quando o católico se ajoelha diante de uma imagem, ele sabe que é uma imagem, um símbolo ( representação) do santo de sua devoção. di-lo o próprio vocábulo; imagem quer dizer símbolo, cf. os meus graves pecados de padre, págs 47. 117, Aníbal Pereira dos Reis.
A objeção confunde semelhança com igualdade. 

Ora o fato dos pagãos fazerem tais ações e gestos diante de suas imagens de esculturas às quais consideravam como ídolos, e às adoravam considerando - as  como seu deus ou deuses não significa que as demais pessoas,  dentre elas os católicos,  só podem fazer semelhantes ações e gestos com as mesmas intenções dos pagãos.


Judas beijou Jesus Cristo com a intenção de traição. Seguindo a regra da objeção , que toda ação semelhante só pode ser feita com igual intenção, vamos chegar à absurda conclusão que todas as vezes que as esposas e esposos se beijaram foi para demonstrar traição um para com o outro. Absurdo este que  ( acredito )  não tem coragem de concordar ou afirmar o Sr. Felipe Gutierrez, o.amigo Costa da CBB e outros que semelhante a ele confunde semelhança de ações com igualdade de intenção.

Está escrito em Mateus 27 , 29 - 31. Quê os soldados se ajoelharam diante de Jesus Cristo não porque o consideravam como Deus menos ainda não para o adorar, muito pelo contrário, foi para zombar, escarnecerem dele. Provando assim biblicamente  que nem sempre semelhança de ações significa igualdade de intenção.
Ademais está escrito que somos semelhança de Deus, mas isso não significa que somos iguais a Deus. Ou significa Sr. Felipe e companhia ... ?
O próprio Jesus Cristo nos ensinou que a verdadeira adoração é um sentimento interno e não está intrinsicamente ligada e dependente das ações, palavras, gestos ...externos. foi ele que disse : Esse povo me honra com os lábios (ações ) mas seu coração está longe de mim ( Mateus 15, 8...). Está escrito que o homem julga pela aparência mas só Deus conhece o coração ( a nossa intenção, sentimento ) . Cf. Samuel 16, 7; Atos 1,24 .

Portanto, A verdadeira adoração é um sentimento interno e não uma mera formalidade com gestos e posições, por conseguinte, quando nós católicos afirmamos categoricamente que não adoramos nenhuma criatura por mais santa que seja, menos ainda as imagens que as representa, é inútil que venham teimar conosco o Sr. Felipe e os protestantes, pois eles não sabem mais do que nós e Deus o que se passa em nosso íntimo, ou sabem? quem lhes deu o direito de julgar as consciências alheias? não é justo nem cristão julgar alguém pelo o que ele já disse que não faz. Julgam intenções e esse julgamento pertence só a Deus!

Em outras palavras :

Algumas vezes, os gestos externos da adoração e veneração podem ser totalmente idênticos, como: inclinar-se, ajoelhar-se, incensar e etc., mas todos devem saber que os gestos devem ser interpretados de acordo com a intenção de quem os realiza, pois um mesmo gesto pode ser feito com várias intenções, por exemplo: ajoelhar-se ou prostrar-se, na Bíblia, nem sempre significa adoração (cf. Mt 4,9-10), mas também súplica, homenagem, respeito, reverência, saudação, confira :

   Josué e todos os anciãos se prostraram frente à arca da aliança (a qual tinha duas esculturas em cima - os querubins) até a tarde (cf. Js 7,6). Será que Josué e os anciãos cometeram idolatria , adorando a arca da aliança , ou as imagens de esculturas dos querubins, por terem se ajoelhados diante delas ?


Abraão, o pai de uma multidão, escolhido por Deus, se prostrou frente aos três anjos que desceriam a Sodoma e Gomorra (cf. Gn 18,2). Teria sido Abraão idólatra por ter se ajoelhado diante dos anjos?


Moisés se prostrou frente ao seu sogro (cf. Ex 18,7). Será que  Moisésa praticou a idolatria pelo simples fato de se ajoelhar diante de seu sogro?
Davi se inclinou três vezes diante de Jonatas (cf. 1Sm 20,41) e inclinou-se com o rosto em terra, fazendo reverência a Saul (cf. 1Sm 24,8-9).


Jacó, ao ver Esaú e quatrocentos homens com ele, inclinou-se sete vezes em terra, até chegar perto do seu irmão (cf. Gn 33,1-3).


   Isaac, próximo de sua morte, abençoou Jacó dizendo-lhe: nações se encurvem a ti e os filhos de tua mãe se encurvem a ti (Gn 27,29, J. F. de Almeida, edição revista e corrigida). Estaria o patriarca Isaac, no fim de sua vida, pedindo para que as nações (os povos) adorassem o seu filho ao se encurvarem diante dele, incentivando, assim, a idolatria?


Sabemos através de Mt 27,29 que ajoelhar-se pode significar até mesmo escárnio, zombaria, pois lemos que os soldados se ajoelharam diante de Jesus para zombar dele, provando assim que ajoelhar-se nem sempre significa adoração. Leia ainda: Gn 23,7; 42,6; 44,14; Ex 18,7; 43,28; Nm 22,31; 2Sm 14,4-22; 1Rs 1,16-23; 2Rs 4,36-37; 1Cr 29,20; Sl 138(137),2; At. 16,29; 7,60; Ap 3,9. Estude: www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/imagens/480-prostrar-se-indica-sempre-adoracao.

   Como se vê, existem várias finalidades em que se pode existir licitamente a prostração. Se prostração fosse, em si, proibida, então nenhuma forma de prostração poderia ser permitida ou biblicamente lícita. Todavia, fica claro, biblicamente, que a prostração proibida se refere justamente à que tem por finalidade adorar as criaturas. A prostração adorativa, essa, só a Deus.    Se prostração fosse sinônimo unicamente de adoração (à divindade, como querem os protestantes) então, seria difícil explicar os textos bíblicos citados acima, onde existe prostração sem a finalidade de adoração, sem a prática da idolatria.

   Ademais, lemos na palavra de Deus que tanto Davi, Josué e os filisteus fizeram procissões religiosas levando solenemente a arca da aliança, na qual havia duas imagens de esculturas em cima (cf. Ex 25,17-22) - cf. 1Sm 6,1.4-5.10-18; 2Sm 6,12-18; Js 6,4-16; 2Cr 5,2-8; Ne 12,27-43; e enquanto faziam a procissão eram guiados e protegidos por Deus (cf. Nm 10,33-34). Nenhum destes textos mostra que eles adoraram a arca ou as imagens de esculturas que iam à cima da mesma. Afirmar o contrário é blasfemar, dizendo que Deus guiava o seu povo para a idolatria, protegendo-o enquanto a praticava.

Isto prova biblicamente que não é o fato de se fazer procissão levando imagens, nem de se ajoelhar diante delas, que faz ou leva as pessoas a adorá-las, e nem isto é prova de que as estão adorando. Sim, está provado biblicamente que a adoração não está intrinsecamente ligada a posição, gestos ou atos externos, mas à intenção de quem os faz; que o povo de Deus, Davi,    Josué, os filisteus... prestavam culto a Deus diante (e usando) sinais visíveis como a arca da aliança e imagens (cf. Js 7,6; 2Sm 6,12-18; Nm 21,8-9...).

   Para que haja idolatria não basta algum ato externo. É necessário que "o outro ser, pessoa (santo - a ) ou objeto (imagem)" seja considerado Deus, com qualidades e poderes divinos, que seja valorizado igual ou mais do que Deus. Ora, nenhum católico (a) "que conhece e obedece a doutrina católica" considera nenhuma criatura (pessoa), por mais santa que seja, nem sua imagem, a coisa mais importante de sua vida e menos ainda como Deus. Dizer o contrário é calunia e mentira que assim como a idolatria fecha as portas do céu para quem morre com tais pecados.

   Ser católico é seguir os ensinamentos e preceitos da Igreja. Não posso dizer que sou católico se não me esforço para conhecer e obedecer ao que a Igreja ensina. A Igreja ensina que aos santos e às suas imagens devemos apenas venerar ( repeitar, reverênciar, homenagiar, honrar). Porém, não devemos nunca  os ( as) adorar. Portanto,  se há algum católico que adora os santos e suas imagens deixa de ser católicos autêntico, pois esta não é uma atitude verdadeiramente católica, visto que a Igreja não a ensina e lhe é contra.

Quando um protestante dizer para você que venerar é o mesmo que adorar, pergunte-lhe: você venera ou adora seus pais? Se  responder que apenas o respeita, lembre-lhe que segundo o dicionário venerar significa " honrar, respeitar" mas que segundo a sua maneira de entender, venerar(= honrar, respeitar) uma criatura é adorar, e adorar uma criatura é idolatria.

Diga-lhe que se for dar crédito em suas palavras ou modo de entender, ele não passa de um idólatra por venerar= adorar uma criatura( seu pai e sua mãe) e que portanto o mal caiu em cima do feiticeiro, ou seja, que a acusação de idólatra caiu em cima do acusador.

Na própria bíblia em atos 5, 34, tradução ( protestante ) revista e corrigida , está escrito que Galamiel era venerado pelo povo. Ora não há nenhuma tradução ou  texto que diz que ele era adorado pelo povo, mas sim venerado=respeitado, acatado, provando segundo a bíblia que venerar não significa adorar.

Para tirar o protestante da arapuca em que ele caiu armando-a para você, lembre-lhe que os dicionários, de fato, dão um vasto significado do verbo adorar tomando sempre em consideração o contexto no qual é usado, assim como a intenção do autor da época; venerar os ídolos pode significar adorar ídolos ou deuses pagãos, visto serem apresentados e considerados como deuses (as),

É neste sentido que a bíblia de Jerusalém ao traduzir atos 19,27 diz que toda a Ásia e o mundo veneram a deusa Ártemis, São Paulo dizia que Ártemis não era deusa cf. Atos 19, 26  porque assim a consideravam cf. Atos 19, 37.

É neste sentido que em relação aos ídolos a Igreja Católica proíbe e nos pede que não se acredite em outros deuses afora Deus e até mesmo que não se "venere" outras divindades afora a única cf. CIC n° 2112. Portanto, o católico(a) que conhece e obedece a doutrina católica não acredita nem tem sequer veneração pelos ídolos, falsas divindades, outros deuses.

Ao contrário, no contexto da veneração dos santos, segundo a doutrina católica, venerar quer dizer dedicar reverência, homenagem, respeito e amor àqueles(as) que abaixo de Deus merecem tais sentimentos pelo povo Deus, pois conseguiram em sua vida de santidade, provar que é possível viver o evangelho de Jesus e atingir a perfeição até onde o homem pode ser perfeito, e por isso são colocados pela igreja como modelo a ser imitado, porém, jamais adorados. Esta é a intenção da Igreja, afirmar o contrário é mentira, calúnia e má-fé.

   De fato, ensina oficialmente a Igreja : Nós adoramos Cristo qual filho de Deus. quanto aos mártires, os amamos quais discípulos e imitadores do Senhor, o que é justo, por causa de sua incomparável devoção (amor) por seu Rei e Mestre, cf. CIC; catecismo da igreja católica, n° 957.

Em 993 "o Papa João xv através da sua encíclica "Cum conventus esset" realça um dos princípios da veneração dos santos: " Honramos os servos para que a honra recaia sobre o Senhor que disse; quem vos acolhe, a mim acolhe ( Mt 10, 40), citado na revista pergunte e respondermos 348/1991,pág. 265-266.

O que fica bem claro , como já foi dito : A igreja só venera os santos e os honra, porque foram fiéis seguidores de cristo e por isso tornaram - se para nós modelo de vida evangélica. Em relação a veneração das imagens ensina: "quem venera uma imagem venera a pessoa que nela está pintada( representada). A honra prestada às imagens sagradas é uma "veneração respeitosa", e não uma adoração, que só compete a Deus, cf. CIC n° 2132.

Portanto a igreja quer que tenhamos as  imagens dos santos ( as) para que olhando para elas possamos meditar nos bons exemplos e edificantes ensinamentos da pessoa nela representada, e pedir a Deus a graça de imitarmos suas virtudes e vida de santidade. É isso que o papa Pio XII nos ensinou e pede na sua encíclica Mediator Dei : Quer a Igreja que se exponham em nossas igrejas e casas as imagens dos santos, para que imitemos as virtudes de quem veneramos as imagens, cf. pág. 106. Devemos fazermos imitadores dos santos em cujas virtudes brilha sobre vários aspecto a própria virtude de Jesus Cristo. a igreja nas festas ( festejos ) dos santos do céu tem sempre em vista propor aos fiéis seus exemplos de santidade, pelos quais  os mesmos se animem procurar a beleza  das virtudes do próprio redentor Jesus Cristo cf. pág 105.

Não existe em nenhum documento da igreja nenhum ensino ou incentivo para nós adorarmos os  santos ou suas imagens, para praticarmos idolatria.

Os protestantes instruídos admitem que é bíblico a veneração dos santos: a confissão de augsburgo e a confissão helvética, art. 21 e art. 5 estabelecem como verdadeira doutrina protestante que um culto relativo e inferior ao que se presta a Deus  é devida aos santos e aos anjos, e a apologia pela confissão de augsburgo art. 13 declara que são Bernardo, S. Francisco, S. Boa ventura eram realmente santos e no art. 21. 27 declara: Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau. o calendário da Igreja anglicana admite também outros santos.

Ora, como já dizia santo Agostinho " a práxis cristã deve está em conformidade com a fé", portanto, a prática católica ( orações, devoções, terços, ladainhas, veneração dos santos e de suas imagens ..." ) bem como as declarações e afirmações de escritores católicos "padres, teólogos ... sobre doutrina, moral, espiritualidade ... católica", devem ser interpretadas, aceitas e vivenciadas segundo a intenção e a  doutrina da igreja católica.

E seguindo a intenção e ensinamento oficial da Igreja é impossível haver ou se cometer idolatria ou heresia, se algum católico(a) faz ou diz verbalmente ou por escrito algo contra a intenção e doutrina oficial da igreja, não estar sendo um católico autêntico, e assim como não é justo  condenar a medicina por causa do erro ou desobediência do médico, a lei por causa do erro ou desobediência do juiz, a educação por causa do erro ou falta de interesse do estudante ... também não é justo nem cristão condenar a mãe Igreja por causa dos erros que seus filhos cometem justamente por não se interessarem em saber os bons conselhos, ensinamentos e ordens edificantes de sua mãe, ou porque mesmo sabendo-os não os seguem nem obedecem.

De fato, Ao contrário do que diz ou insinua o Sr. Felipe Gutierrez e outros, a Igreja Católica ensina em seus documentos oficias que : cristo é o centro de toda a vida cristã, o vínculo com ele está em  primeiro lugar, na frente de todos os outros vínculos e nenhuma criatura jamais pode ser equiparada (considerada igual, menos ainda superior) a Jesus Cristo, pois ele tem em tudo a primazia ( prioridade) cf. catecismo da igreja católica n° 1618. 970 e 792, Compêndio Vaticano II,pág. 109, edição 18°.

faço questão de citar os principais livros católicos  mal interpretados por alguns protestantes para tentarem provar que a Igreja ensina adoração a Maria.

   glórias de Maria, 21ª edição, editora santuário :

   Maria não tem mais poder que Jesus Cristo, nosso único salvador.  Diz-se que Maria é onipotente ...  mas é do modo que se pode entender de uma criatura que não é capaz de atributo divino pág. 153. Aquele que põe sua esperança na criatura, independente de Deus, é sem dúvida amaldiçoado pelo senhor. Pois tão somente ele é a única fonte e distribuidor de todo bem. Sem ele nada tem e nada pode dar a criatura pág. 147. Quem ignora que a honra prestada às mães redunda em glória para os filhos? Os pais são as glórias dos filhos, lemos nos provérbios 17, 6. Quem muito enaltece a mãe, não precisa ter receio de obscurecer a glória do filho, pois quanto mais se honra a mãe, tanto mais se louva o filho. É tributada ao filho e ao Rei toda honra que se presta à Mãe e à Rainha pag. 131.

Tratado da verdadeira devoção a santíssima virgem, 3ª edição :

   Com toda a Igreja confesso que Maria, não sendo mais que uma simples criatura saída das mãos do Altíssimo, é menor que um átomo, ou antes, não é nada em comparação com a sua majestade infinita, visto que só Deus é "Aquele que é" cf. êxodo 3,14.  pag. 25. Não existe em nossa senhora nenhuma grandeza que não seja apenas reflexo da infinita grandeza de Jesus, comentário ao n° 31, pag. 35. Jesus Cristo nosso salvador, deve ser o fim último de todas as nossas devoções; de outro modo seriam falsas e enganadoras, Porque só nele habita toda a plenitude da divindade, e todas as outras plenitudes de graça, virtude e perfeição. Ele é o único mestre que nos deve ensinar, o único senhor de quem devemos depender, o caminho único que nos deve conduzir, a única verdade em que devemos crer, a única vida que nos deve animar, o único tudo, que nos deve bastar em todas as coisas. Não nos foi dado , debaixo do céu, outro nome pelo qual devamos ser salvos, senão o nome de Jesus, Deus não constituiu outro fundamento da nossa salvação, perfeição e glória senão Jesus Cristo, pag. 61 n° 61.

  Manual da legião de Maria, 1ª edição :

   Qual a posição de Maria em relação a Deus ? Como todos os mortais foi tirada do nada; e embora Deus a sublimasse a um estado de graça imenso, diante do criador ela não passa do nada, 5ª capítulo, artigo 1 "Deus e Maria", pag. 18.

   Com Maria, rumo ao o novo milênio, 3° edição, CNBB, conferência nacional dos bispos do Brasil :

  Não podemos colocar Maria no mesmo nível de Jesus," ela não é deusa", nem entra no meio da trindade. Reconhecemos e acreditamos que só Jesus é o nosso salvador ( Atos 4, 12), o único Senhor ( Fl.  2, 11), o único mediador entre Deus e a humanidade (1 Tm 2, 5-6), nós, cristãos católicos, adoramos somente a Deus : ao pai criador, pelo filho redentor, no Espírito santificador, e continuamos respeitando e venerando os santos pois eles são como pequenos riachos, afluentes que nos levam ao grande rio que é Jesus, cf. páginas 14, 63, 11-13.

   Vemos assim que a Igreja Católica nunca ensinou nem ensina adoração a nenhuma criatura (pessoa, por mais santa que seja), menos ainda algum objeto ( imagens ).

  Alguns protestantes não querem conceder à igreja católica o direito de ter a sua doutrina julgada e interpretada da maneira que ela mesma a entende e com a intenção que ela a ensina, ao contrário, interpretam  a doutrina católica, os documentos oficiais da Igreja, as palavras e ações dos católicos  em um sentido expressamente condenado por eles, através da doutrina da Igreja.

Não é usando a mentira, calúnia, deturpação, má fé ... com o intuito diabólico de difamar e caluniar  a Igreja Católica e os católicos que o Sr. Filipe Gutierrez, o amigo Costa da CBB,  pastores e demais protestantes conseguirão salvar suas almas, irão para o céu. Não é se comportando como filho do diabo (pai da mentira, calúnia ...) que terão Deus por pai ou reinarão com o Criador por toda eternidade !

Se em algum momento ou palavras da resposta eu vos ofendir, humildemente eu vos peço desculpas e perdão, pois essa não foi nem é minha intenção.

Leia o estudo completo em :

 https://larcatolico.webnode.com.br/news/venera%c3%a7%c3%a3o%20das%20imagens

Contacto

Larcatolico (86) 99964-9541 aquinocatequista@hotmail.com