RESPOSTA DO CATEQUISTA AQUINO ÀS OBJEÇÕES PROTESTANTES

 

Qual é a verdadeira regra de fé para os cristãos : É Somente a Bíblia ( como ensina o protestantismo )        ou é a Bíblia e a Tradição oral divino apostólica ( como ensina o catolicismo ) ? 

MAIS UMA DESCULPA DO SENHOR SEBASTIÃO MAERTINS PARA FUGIR DO DEBATE QUE ELE MESMO ME DESFIOU PARA TER COM ELE. EIS AS PALAVRAS DELE: " Não li nada do seu TESTAMENTO, pois ENQUANTO vc não me responder ou "refutar" ( ? ) a última postagem que lhe ,. Você, como sempre, "lança" uma ,idiotice católica, e quando lhe respondemos, vc NÃO RESPONDE OU "REFUTA NADA". OUTRA COISA: vc não tem capacidade para debater coisas(?) de sua própria? Só sabe COPIAR,COLAR ETC. //// QUANDO =se sentir capacitado para debater, me procure. Antes, NÃO ! Pois não tenbhi tempo a perder. "

 MAIS UMA RESPOSTA MINHA ( CATEQUISTA AQUINO) REPETINDO A RESPOSTA QUE JÁ HAVIA ENVIADO. Como o Sr. pode dizer que eu não RESPONDO NEM REFUTO NADA do que você já me respondeu se você mesmo admite que não leu o que envio para o Sr estudar. Em tais estudos tem as respostas e refutações das suas errôneas interpretações das sagradas escrituras e falsos argumentos em favor daquilo que o Sr. acredita ser a verdade. Aliás tem até algumas perguntas feitas diretamente ao Sr. Sebastião Maertins que até hoje estão sem respostas, mas ficaremos esperando - as. Pois são de suma importância para o nosso debate. Por exemplo, se o Sr. não acredita e até nega a necessidade da Tradição Oral Divino Apostólica POR FAVOR SEU SEBASTIÃO MAERTINS NOS RESPONDA: QUAL É O TEXTO DA BÍBLIA QUE DIZ QUAIS SÃO E QUANTOS SÃO OS LIVROS INSPIRADOS QUE A COMPÕE? 

ORA , SEU SEBASTIÃO MAERTINS NÃO SE FAZ UM SÉRIO DEBATE CUJO INTERESSE É A BUSCA, CONHECIMENTO E ACOLHIMENTO DA VERDADE QUERENDO APENAS EXPOR A SUA PRÓPRIA INTERPRETAÇÃO, ARGUMENTOS... SEM QUERER CONHECER À DO OPOSITOR. SÓ PODEMOS TIRAR UMA CONCLUSÃO JUSTA E VERDADEIRA A RESPEITO DE UM ASSUNTO, TEMA, TESE, INTERPRETAÇÃO, DOUTRINA...ESTUDANDO OS PRÓS E CONTRA DOS MESMOS. E É O QUE O SENHOR NÃO ESTÁ FAZENDO POIS FOI O PRIMEIRO A ADMITIR QUE NÃO LEU OS ESTUDOS E RESPOSTAS QUE JÁ LHE ENVIEI. AGORA DAR PARA ENTENDER O PORQUE SE AFOBA TANTO DIZENDO QUE NUNCA PERDEU UM DEBATE BÍBLICO COM CATÓLICOS. É PORQUE APENAS QUER DIZER, ESCREVER O QUE QUER, SEM QUERER CONHECER O QUE O OPOSITOR TEM DITO OU ESCRITO SOBRE O ASSUNTO E TEMA ABORDADO. SAIBA QUE SOMENTE DESSE JEITO O SENHOR CONSEGUIRÁ GANHAR TODOS E QUALQUER DEBATE BÍBLICO COM CATÓLICOS, E PARA AUMENTAR O SEU EGO, SEU ORGULHO, COM TAIS ARTIMANHAS, COVARDIAS, INJUSTIÇAS... FIQUE SABENDO E ACREDITE, VOCÊ GANHARÁ DEBATES BÍBLICOS TRAVADOS ATÉ COM DEUS, JESUS CRISTO E COM ESPÍRITO SANTO, CASO SUPOSTAMENTE, ELE NOSSO DEUS ALTÍSSIMO E ONISCIENTE APARECESSE NA SUA FRENTE PARA CORRIGIR SUAS FALSAS INTERPRETAÇÕES E ERRÔNEOS ARGUMENTOS. Ao contrário do que está dizendo eu já lhe respondi e refutei as suas falsas interpretações de Mt 15, 1, 3-9; Mc 7, 1. 9-13; Só está faltando o senhor deixar de ter medo de conhecer as verdades que mostram claramente que o Sr.está errado naquilo que defende, ensina e acreditar ser verdade. DEIXE O ORGULHO DE LADO E SE AJOELHE DIANTE DA VERDADE, TENHA CORAGEM DE LER AS RESPOSTAS E ESTUDOS QUE JÁ LHE ENVIEI. DEIXE DE MENTIR DIZENDO QUE NÃO LHE ENVIO RESPOSTAS AOS SEUS COMENTÁRIOS, INTERPRETAÇÕES E ARGUMENTOS. VOU REPETIR E POSTAR NOVAMENTE A RESPOSTA QUE JÁ LHE ENVIEI EM 2 DE ABRIL ÀS 01:00 DA MANHÃ . 
2 de abril às 01:02
Jose de Aquino RESPOSTA AO SENHOR PROTESTANTE SEBASTIÃO MAERTINS SOBRE A SUA INTERPRETAÇÃO DE Mat 15, 1 -13; Mc7, 9. ESTE RESUMIDO ESTUDO NOS DARÁ RESPOSTA À SEGUINTE PERGUNTA: “Jesus não terá condenado a TRADIÇÃO em Mt 15, 1, 3-9; Mc 7, 1. 9-13; Col 2, 8?”

Eis aqui o texto de São Marcos (7,1-9), que é o mais explícito (tradução de Ferreira de Almeida):
“E ajuntaram-se a Jesus os fariseus e alguns dos escribas que tinham vindo de Jerusalém. E, vendo que alguns dos seus discípulos comiam pão com as mãos impuras, isto é, por lavar, os repreendiam. Porque os fariseus e todos os judeus, conservando a TRADIÇÃO dos antigos, não comem sem lavar as mãos muitas vezes; e, quando voltam do mercado, se não sé lavarem, não comem. E muitas outras coisas há que receberam para observar, como lavar os copos e os jarros e os vasos de metal e as camas.
Depois perguntaram-lhe os fariseus e os escribas: 'Porque não andam os teus discípulos conforme a TRADIÇÃO dos antigos, mas comem o pão com as mãos por lavar?’ E ele, respondendo, disse-lhes: 'Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim; em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens, porque, deixando o mandamento de Deus, vos apegais à TRADIÇÃO dos homens, (como o lavar dos jarros e dos copos), e fazeis muitas outras coisas semelhantes a estas'. E dizia-lhes: 'Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa TRADIÇÃO' ”.

Não será preciso refletir muito sobre o texto para se perceber seu significado. A resposta que Jesus dá aos fariseus mostra que o Senhor de modo nenhum intencionou entrar no tema do valor da TRADIÇÃO divino apostólica como tal , ensinada e a aceita pela Igreja como regra de fé juntamente com a bíblia, mas voltou sua atenção exclusivamente para a TRADIÇÃO como era cultivada pelos fariseus. Cristo estava em presença de adversários que, cheios de si, presumindo de sua sabedoria e justiça, não desejavam ser iluminados e instruídos acerca das bases e do espírito da religião. Por isto Jesus se limitou a mostrar que, no caso preciso dos fariseus, o apego à TRADIÇÃO era reprovável, porque se tornava motivo de derrogar aos preceitos de Deus, servindo de capa ‘à hipocrisia e à vontade própria’. Ficou fora de discussão a questão da autoridade da TRADIÇÃO não farisaica.
Em outras palavras : " A Bíblia, refere-se a dois tipos de "TRADIÇÃO": "TRADIÇÃO" humana (com "t" minúsculo) transmitida pelos homens e não de acordo com Cristo e seus ensinamentos e dos apostolos (como afirmado em Cl 2,8), e "TRADIÇÃO" apostólica (com "T" maiúsculo), transmitida pela "Palavra de DEUS", pelos ensinamentos do Próprio Jesus Cristo, dos apóstolos e pelos ensinamentos da Igreja. As condenações da TRADIÇÃO em Mt 15,3, Mc 7,9, e Cl 2,8 referem-se às más tradições humanas. 2Ts 2,15 refere-se à TRADIÇÃO apostólica, a "Palavra de DEUS". De fato Veja as referências mostrando a distinção de tais tradições: 
Referências Bíblicas para .
"TRADIÇÃO" divino Apostólica: Mt 28,20, *Mc 13,31, Lc 2,19,51, Jo 14,25-26; 15,20,27, Jo 21,24-25, At 2,42, *At 20,35, Rm 12,6, 1Cr *2,13, 11,2; 1Cor 15,2, 2Cor 3,2-3, *2Ts 2,14-15, *2Ts 3,6, 2Tm 1,13; 2,2.15, 2Tm 3,14, Hb 2,1, *1Pd 1,25, *2Pd 1,20, 1Jo 1,1, 1Jo 2,24, *2Jo 1,12, *3Jo 1,13-14, Jd 1,3, Ap 12,17, Ap 19,10.
"TRADIÇÃO" meramente humana: Mt 15,2-6, Mc 7,3-13, *1Cr 2,13, Gl 1,14, *Cl 2,8.14, Tt 1,14, 1Pd 1,18
Ora, justamente a Igreja reconhece haver tradições meramente humanas errôneas, que derrogam à Palavra explícita de Deus ou concorrem para dissimular o pecado e o vício tais tradições devem serem rejeitadas. De fato: 
A Tradição a que estamos nos referindo aqui pelo tema escolhido é A Sagrada Tradição, A tradição divina apostólica: a Palavra de Deus que os Apóstolos receberam de Cristo e transmitiram oralmente à Igreja. Esta não deve ser confundida com as tradições “ informais “dos fariseus. E que, por conseguinte é impossível que Jesus Cristo está se referindo à TRADIÇÃO DIVINA APOSTÓLICA e menos ainda a esteja condenando-a. É preciso distinguir, desta Tradição, as «tradições» teológicas, disciplinares, litúrgicas ou devocionais, nascidas no decorrer do tempo nas Igrejas locais. Elas constituem formas particulares, sob as quais a grande Tradição recebe expressões adaptadas aos diversos lugares e às diferentes épocas. É à sua luz que estas podem ser mantidas, modificadas e até abandonadas, sob a direção do Magistério da Igreja.
- Catecismo da Igreja Católica, item 83
Portanto, Quanto ao fato do Sr. Sebastião Maertins dizer que Jesus condenou o uso de toda Tradição em Mateus 15, 1 - 13 Mc 7,9 é grande ilusão e desconhecimento bíblico sobre o tema escolhido , sobre “ A Tradição divino apostólica”. Se isso fosse verdade Sr. Sebastião Maertins S. Paulo não nos recomendaria também guardarmos o ensino oral dos apóstolos “ A Tradição divino apostólica”como já vimos não apenas em 2° Ts 2, 15, que segundo você è o único texto que ensina a tradição católica, mas também em 1° Cor 11, 2 ; 2° Tes 3, 6 ( confira na tradução de João freira de Almeida “ Revista e Atualizada” ). E em vários outros citados acima. Textos que embora na tradução de Almeida Revista e corrigida ou outras tenha a palavra “ instruções, preceitos, ensinamentos” não vai contra a tradição oral divino apostólica recomendada por São Paulo . O problema demonstrado aqui é o fato dos Fariseus ensinarem informalmente sua própria tradição em vez da Tradição que foi comunicada desde Abraão até os Profetas (Exatamente como fazem hoje os solascripturistas, cada um pregando suas próprias tradições). Se Jesus condenasse as tradições formais, Ele não teria dito ao povo que ouvisse os fariseus quando estes ensinassem na Cadeira de Moisés, ou seja, ensinassem formalmente como legítimos sucessores de Moisés (cf. Mt 23,2). Cristo, então, condena as tradições informais, não as formais. Ainda mais: o fato de Cristo ter condenado as tradições farisaicas isso não significa dizer que ele rejeitava as tradições como tais. Ele rejeitava a "tradição" humana, não a tradição divina. O termo grego usado aí para "tradição" é o mesmo que aparece em 2 Tes 2, 15 e 3,6 "paradosin", e como se vê, em Marcos ela significa algo negativo; em Paulo, ela significa algo positivo. Ademais;

NECESSIDADE DA TRADIÇÃO ORAL DA IGREJA : "A Tradição oral remonta ao próprio Cristo e aos Apóstolos. Ela é anterior à Escritura e se exprime nela. O ponto em que mais aparece a necessidade de algo anterior à Escritura, é a que se refere ao Cânon Bíblico: Como saber se um livro é ou não inspirado? " Como saber quantos e quais são os livros inspirados da bíblia ? NÃO ESQUEÇAM QUE A PRÓPRIA BÍBLIA NÃO DEFINE SEU CÂNON (CATÁLOGO DOS LIVROS INSPIRADOS). SE NÃO ACREDITA E ATÉ NEGA A NECESSIDADE DA TRADIÇÃO ORAL DIVINO APOSTÓLICA, POR FAVOR SEU SEBASTIÃO MAERTINS NOS RESPONDA: QUAL É O TEXTO DA BÍBLIA QUE DIZ QUAIS SÃO E QUANTOS SÃO OS LIVROS INSPIRADOS QUE A COMPÕE?

O PRÓPRIO PROTESTANTISMO RECORRE À TRADIÇÃO ORAL EM DUAS OCASIÕES:
O próprio protestantismo, que afirma só reconhecer a Escritura, recorre necessariamente à Tradição Oral em 2 ocasiões: Sem a Tradição oral, não se pode definir o catálogo sagrado, pois em nenhuma parte da Escritura está escrito quais os livros que, inspirados por Deus, a devem integrar. É preciso procurar a definição dos livros sagrados fora da Escritura: na Tradição. Ora Lutero e o Protestantismo recorreram a tradição dos judeus da palestina, enquanto a Igreja Católica, seguindo o uso dos Apóstolos, optara pela tradição dos judeus de Alexandria. Na sua maneira de interpretar a Biblia, os protestantes também recorrem a uma tradição. Pois embora o texto biblico seja o mesmo para todas as denominações evangélicas, estas não concordam entre si, por exemplo, no que toca ao Batismo de criança, à observância do sábado ou do domingo, etc. As divergências não provêm do texto bíblico, mas da interpretação dada a este texto por cada fundador. Ou seja, dependem da tradição oral ou escrita que cada fundador quis iniciar na sua congregação.
O pastor pentecostal Juan Carlos Ortiz, no livro O Discípulo, Na p. 132 afirma : "Não obstante o que a Bíblia ensina, também nós os protestantes temos as nossas tradições: as denominações. Jesus tem somente uma esposa, a Igreja. Ele não é polígamo. No entanto, chegamos até a dizer que as denominações fazem parte da vontade de Deus. Assim nós culpamos a Deus pelas nossas divisões e falta de amor. E depois criticamos os Católicos pelas suas tradições. Pelo menos suas tradições são mais antigas que as nossas." (O discípulo, p.132, Editora Betânia)
Assim, embora queiram rejeitar a Tradição Oral, o cristão a professa sempre: professa a Tradição oriunda de Cristo e dos Apóstolos, ou a tradição oriunda de Lutero, Calvino... Cada "profeta" protestante faz o que Lutero fez: rejeita a tradição protestante anterior e começa uma nova tradição: sim, lê a Bíblia ao seu modo e dela deduz proposições de fé e de moral que, segundo a sua intuição humana falível, lhe parecem mais acertada.
Assim, somente a Escritura não pode ser “ BIBLICAMENTE” a única regra de fé pois ( A tradição oral Divino-Apostólica é recomendada pela própria bíblia através de S. Paulo cf. 2° Ts 2, 15; 3, 6; 1° Cor 11, 2; 2° Tm 1, 13; 2 ...)
Nem " SOMENTE A BÍBLIA" é no protestantismo, a única fonte de fé. Como se ver a verdadeira regra de fé é a Bíblia juntamente com a Tradição Oral Divino-Apostólica, que os protestantes rejeitam baseando-se não na bíblia, mas na tradição oral, não Divina, mas humana, não apostólica, mas do século XVl em diante que começam com Lutero(1517-Luteranos), Calvino(1541- Calvinismo), John knox(1567- Presbiterianos), John Smith(1600-Batistas), John Wesley(1739-Metodistas), Joseph Smith(1830-Mormons), William Miller(1831-Adventistas) Charles pharam e Daniel Berg (1900-Assembleia de Deus) ...Entre cristo e os apóstolos, de um lado, e os fundadores humanos das denominações protestantes, do outro lado, não há como hesitar: só se pode optar pelos ensinamentos de cristo e dos apóstolos, deixando de lado os ensinamentos dos "profetas" posteriores.. 
O próprio Lutero que apoiou-se nessa equivocada doutrina ( que somente a bíblia é a regra de fé para o cristão ) reconheceu os malefícios que ela iria causar pelos séculos afora: "Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final, quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças" (Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547; De Wett III, 6l ). E mais sério ainda: "Se o mundo durar mais tempo, será necessário receber de novo os decretos dos concílios (católicos) a fim de conservar a unidade da fé contra as diversas interpretações da Escritura que por aí correm" (Carta de Lutero à Zwinglio In Bougard, Le Christianisme et les temps presents, tomo IV (7), p. 289).

IMPOSSIBILIDADE DE A BÍBLIA SER A ÚNICA REGRA DE FÉ PARA OS CRISTÃOS 
Todos sabemos que Deus quer que “TODOS” cheguem ao conhecimento da verdade, da palavra, ensinamentos que ele nos revelou através dos profetas, de Jesus Cristo, dos apóstolos e de sua Igreja ( confira: 1° Tm 2, 4. "A VERDADE É JESUS CRISTO" (Jo 14,6) e Jesus ao funda a sua Igreja autorizou e fez dela o instrumento (meio) visível para ensinar infalivelmente tudo que ele ensinou Cf. Mat 16, 18-19; 28 19-20; 18, 17; Lc 10, 16; Jo 21, 15-17; Heb 13, 7. 17; Mal 2 7; Atos 20, 28... É a palavra de Deus que garante que: sem a Igreja a verdade não se sustenta. Cf:
"A Igreja é a coluna e o sustentáculo da Verdade” (cf. 1tm 3,15).
Desta verdade fica provado que A verdadeira regra de fé para o cristão tem que ser UNIVERSAL, desde o inicio do cristianismo e possível a TODAS as pessoas, visto que Deus quer que TODOS SE SALVE E CHEGUE AO CONHCIMENTO DA VERDADE.

Ora Sr. Sebastião Maertins , como o você mesmo já admitiu ao comentar o vídeo do padre Paulo Ricardo : nos primeiros séculos não existia o novo testamento, mas mesmo assim a Igreja já ensinava e explicava as verdades cristãs ao povo. Os primeiros cristãos não tinham a bíblia como única regra de fé até mesmo porque a bíblia tal como nós a temos hoje ainda não existia. Como a bíblia pode ser a única regra de fé se muitos desde os primeiros séculos e até hoje não sabem ler? Se até a descoberta da imprensa por Johann Gutenberg, no século XV, era difícil TODOS terem a bíblia ? Como suplemento Leia e estude : " 21 razões para rejeitar a Sola Scriptura"

Leia - o em: https://www.bibliacatolica.com.br/conhecendo-a-biblia-sa…/…/

Prezado Amigo Sebastião Maertins contra fato não há argumento, Mesmo que só o texto de 2° Tes 2, 15 ensinasse a Tradição divino apostólica tal como a Igreja Católica ensina como você mesmo admitiu, razão não há para que queira rejeitá - la e continuar insistindo em contestá – la. Para isso você até parece dizer que Jesus Cristo contradiz São Paulo ou São Paulo contradiz Jesus Cristo o que é “biblicamente “ falando impossível.
Para que fique bem claro: . Entre o que ensinou Jesus no Evangelho e o que ensinou São Paulo em suas Epístolas não pode haver contradição. Cristo condenou a tradição dos fariseus, com as palavras que você cita. É bem verdade. Mas é verdade também que São Paulo mandou "Guardai as tradições que aprendestes, ou por nossas palavras, ou por nossa carta" (2°Tes. 2, 15).
Portanto, havia uma tradição boa que não era a que Cristo condenara. Então, meu caro, onde fica sua condenação de toda tradição? Você só poderá condenar a Tradição se condenar o que escreveu São Paulo na Bíblia!!! Na Bíblia, que você diz respeitar , Infelizmente muitos protestantes só aceita alguns versículos dela, e recusa outros que não lhes convêm. E isso é tratar a bíblia com desrespeito. Diga-me, Ó Sr ante tradicional protestante, qual é a tradição que São Paulo recomenda guardar e que você guarda?
Ou você não guarda nenhuma tradição? Então como é que você diz que aceita só a Bíblia, quando você não faz o que a Escritura manda, na 2° Epístola aos Tessalonicenses? A tradição que Cristo condena nos fariseus não era a Tradição verdadeira, a Tradição que ele mesmo ensinou aos apóstolos , a tradição divino a apostólica e sim uma falsa tradição dos fariseus.. Cristo não poderia ter condenado a tradição verdadeira, porque, senão, a própria Bíblia estaria condenada. Pois como se conheciam quais eram os livros revelados por Deus, e que, pouco a pouco, no decorrer dos séculos, constituíram a Escritura Sagrada, senão pela tradição? A tradição que Cristo condenou foi outra.

Por outro lado, a Tradição Oral e o Magistério da Igreja só tem sentido se fazem eco à Sagrada Escritura. " 
Peço – lhe Sr. Sebastião Maertins ( até mesmo para não cansar os leitores do debate nem tornar o mesmo enfadonho com interpretações , objeções já seriamente analisadas e biblicamente respondidas e esclarecidas). Por favor, Siga e cumpre as condições indicadas e solicitadas por mim, para que possamos ter ou fazer um benéfico, sério e útil debate. Dentre as quais: Antes de fazer algum comentário, dar alguma resposta, fazer alguma objeção estude sem preconceito com grande amor e interesse pela verdade os estudos que já postei sobre o tema, é necessário que estude todos, mesmo que seja devagarinho, pois um completa o outro, o que um deixa de explicar o outro explica. Fazendo assim verá que só um sério estudo bíblico, sem preconceito , com grande amor e interesse pela verdade elimina as dúvidas e os preconceitos, porém, somente um estudo bíblico feito ao contrário aumenta – os. Para quê o Sr. E demais leitores tenham a confirmação desta afirmação vou postar mais um dos estudos explicando e comentando os principais textos citados pelo protestantismo , que segundo o mesmo prova a Sola Scriptura ( somente a bíblia é a regra de fé para o cristão ) ao mesmo tempo respondendo OBJEÇÕES DO CACP, ( UM DOS SITES DE APOLOGÉTICA PROTESTANTE MUITO PESQUISADO ). CONTRA A DOUTRINA CATÓLICA SOBRE A TRADIÇÃO DIVINO APOSTÓLICA. CUJO TITULO É : Sola Scriptura: a farsa desmascarada!

Analisando textos que segundo os protestantes provariam a Sola Scriptura

Leia - o em : https://www.pr.gonet.biz/kb_read.php?num=2926

Esperando biblicamente vos ter respondido me despeço desejando – lhe a paz de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo. Catequista Aquino.
E não esqueça de ler também

Somente a Bíblia? - 21 razões para rejeitar a Sola Scriptura -

Leia - o em : https://www.bibliacatolica.com.br/conhecendo-a-biblia-sa…/…/ 

EM QUÊ SENTIDO MARIA É MÃE DE DEUS ?

RESPOSTA DO CATEQUISTA AQUINO AO PROTESTANTE COSTA DA CCB (CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL ) DO BAIRRO AREIAS EM TERESINA - PIAUÍ.

 Maria é mãe de Deus : porque Jesus Cristo é Deus e Maria é sua mãe. 
Apesar dos protestantes dizerem que aceitam toda palavra de Deus e que só aceitam como revelação divina o que está escrito na Bíblia. No versículo 43 do capítulo 1 de Lucas está escrito uma verdade rejeitada pela maioria dos protestantes, a saber que Maria antes mesmo de Jesus Cristo nascer é chamada pela própria sagrada escritura de mãe de Deus. Isabel a chama de mãe do meu Senhor. Perguntamos: Quem é o Senhor de Isabel ? Ora, os estudiosos sinceros e amantes da verdade concordam e ensinam unanimemente que Senhor com o "S" maiúsculo na Bíblia traduz o vocábulo grego Kyrios que por sua vez se refere a Deus.
Alguns protestantes para rejeitar esta verdade da maternidade divina de Maria dizem:
Maria é apenas a mãe do corpo de Jesus, da sua natureza humana e não deu origem à divindade de Cristo.
Respondemos: A maternidade não se refere ao corpo ou à natureza, ou seja, nossa mãe não é mãe pela metade, não é mãe apenas do nosso corpo , não é mãe da nossa natureza, mas é mãe da nossa pessoa. Por conseguinte, o fato de Maria não ter dado origem à natureza Divina de Jesus Cristo não nega a realidade de ser ela mãe de uma pessoa Divina que é Jesus , de fato, a Bíblia ensina : 
Que ele é Deus conosco ( Mat 1, 23 ) que mesmo segundo à carne, Cristo é Deus bendito para todo o sempre ( Rom 9, 5 ) que em Jesus Cristo habita corporalmente, toda a plenitude da Divindade ( Col 2, 9 ) Ensina que Deus nos resgatou ( comprou ) com seu próprio sangue ( Atos 20, 28 )...
Semelhantemente o fato de sua mãe não ter dado origem à sua alma não nega a realidade de ser ela sua mãe. 
É preciso ser muito protestante e de cristão ter apenas o nome ( e não uma vida autenticamente cristã ) para rejeitar a maternidade divina de Maria mãe do nosso grande Deus e salvador Jesus Cristo ( Tito 2, 13 )

 

Contacto

Larcatolico (86) 99964-9541 aquinocatequista@hotmail.com